O Blockchain promete revolucionar as transações de dados e valores. Mas como esse processo pode afetar o segmento de Engenharia e Construção? Entenda mais sobre o assunto em nosso artigo.

Apesar de sempre estar alinhado com as novidades e as soluções tecnológicas, fundamentais para sua frente operacional, o segmento de Construção e Engenharia nunca teve sucesso em tornar esse envolvimento mais estratégico. Não que não houveram tentativas ou mesmo interesse, mas o retorno nunca foi o esperado. Entretanto, tudo está mudando com o blockchain.

Criada em 2009, o blockchain vem ganhando cada vez mais adeptos em diversos setores, principalmente nos segmentos de Finanças e Imóveis, presente em processos como transações imobiliárias e escrituração. Isso por que ela provou ser uma ferramenta que confere agilidade e segurança aos processos que é aplicada.

No entanto, fica a dúvida: qual a relação do blockchain com o segmento de Construção e Engenharia?

O primeiro ponto é que o blockchain surge como uma solução moderna de segurança da informação. Com ele integrado às etapas do processo, o time envolvido passa a ter uma visão aprofundada, atualizada e criptografada das informações de um projeto.

O segundo ponto está envolvido diretamente com a produtividade. Afinal, a relação do segmento de Construção com produtividade nunca foi, digamos, exemplar, pelo menos se comparada com outros segmentos.

Segundo um estudo da consultoria McKinsey feito em 2017, o crescimento da produtividade da indústria da Construção, nos últimos 20 anos, fica muito aquém do crescimento visto tanto na indústria da Manufatura como até da economia global.

E por que segurança e produtividade são âncoras tão importantes?

Bom, é porque situações como essas (de demora na execução de uma obra ou a falta de fiscalização adequada) só descredibilizam o potencial do segmento de Construção Civil, afetando seus colaboradores e fornecedores diretos (como empresas de Engenharia e Projetos).

Além disso, não é de hoje que paira sobre o setor uma certa desconfiança, pois não são raras as vezes que problemas financeiros ilícitos acontecem em uma obra, principalmente na esfera pública.

Portanto, não é exagero afirmar que reverter essas métricas e mudar a cultura de trabalho é um dos grandes objetivos do segmento de Construção Civil.

E o blockchain pode ajudar nesse processo.

O que é o Blockchain?

De um ponto de vista técnico, o blockchain pode soar um pouco complicado. Entretanto, seu objetivo é simples: descentralizar os processos e tornar as informações trocadas mais seguras.

O blockchain é um banco de registros e informações sobre um projeto (ou mercado, ou moeda, como o caso do Bitcoin), altamente assegurado por meio de criptografia, que visa tornar qualquer transação (seja de valores ou informações) em um processo direto entre as partes envolvidas, excluindo a necessidade de um intermediário.

Em um exemplo prático, temos o Bitcoin, mencionado acima.

Toda lógica desta criptomoeda é que, além de 100% digital, sua transação se dá diretamente de uma parte para a outra, sem que haja necessidade de um banco tradicional intermediando a movimentação.

Assim, o blockchain consegue assegurar uma transação segura, totalmente rastreável e transparente, seja ele público ou privado.

O blockchain público x blockchain privado

Um ponto extra que vale a pena comentar é sobre a diferença entre blockchains públicos e privados. Estes dois tipos costumam gerar dúvidas quanto suas definições, aplicações e usos.

No caso do blockchain público, as carteiras são abertas a qualquer usuário. Por isso, todos os participantes podem baixar a cadeia de blocos e são usados como referência no processo de mineração. Nos blockchains públicos, os usuários podem livremente ler as informações, fazer parte do consenso e realizar transações. O maior exemplo é o bitcoin.

Já no caso do blockchain privado, a cadeia de carteiras é restrita, limitada a um grupo. Suas regras e seu controle são definidos por uma empresa ou um grupo delas, que também permite ou não a entrada de novos usuários.

Como o blockchain pode ser aplicado nos processos de Engenharia e Construção Civil?

O blockchain garante mais segurança na auditoria das informações e pode agir justamente em processos “truncados”, como a verificação entre entregas reais versus o que foi firmado em contrato, por exemplo. Sua característica descentralizada e altamente segura traz maior organização no fluxo de informações e no controle de um projeto, facilitando o trabalho de fiscalização e análise.

Especialistas já agregam essa tecnologia em pontos-chave de execução, integrando-os com as plataformas existentes. Abaixo, abordamos algumas delas. Confira:

Gestão de processos e a revolução da fiscalização: uma nova forma de interagir e fazer a gestão de documentos de Engenharia

Com o blockchain, funções como a gestão de processos ganham mais autonomia, dinamismo mi segurança.

A tecnologia permite que, por exemplo, stakeholders de um mesmo projeto acompanhem em tempo real qualquer alteração ou aprovação feita em um documento de uma obra.

Essas alterações ficam registradas em um banco de dados, contendo informações como data, hora e responsável.

Assim, é possível evitar fraudes, aumentar a confiança das partes envolvidas e também possibilitar o rastreio de erros diretamente em sua fonte. O MIT Press Journal destaca (na página 10) a atuação pioneira da Construtivo neste campo, inovando processos como registro de supervisão e gerenciamento com uso do blockchain.

Smartcontracts: a gestão de contratos do futuro

Um dos grandes problemas da Construção Civil está nos contratos. Muitos enxergam neles as brechas para cometer ações ilícitas envolvendo valores, por exemplo. Portanto, a necessidade de maior clareza e segurança é urgente.

Por isso, com a adição da tecnologia de blockchain ao gerenciamento de contratos, surgiram os smartcontracts.

Através deles, é possível automatizar os processos envolvendo um contrato.

Em uma obra, por exemplo, consideremos que haja uma cláusula especificando que o pagamento será realizado apenas quando a construtora finalizar sua parte. Com o blockchain, é possível rastrear e identificar a conclusão da obra e acionar a cláusula, liberando o pagamento. Tudo de forma automática, em tempo real e sem intermédio de pessoas.

As informações sobre o andamento, conclusão e demais detalhes da obra seriam integrados à plataforma de blockchain através da leitura de sensores inteligentes, localizados próximos ou mesmo in loco.

Um braço direito para tornar o BIM ainda mais eficiente

O BIM (Building Information Modeling) é uma ferramenta de modelagem virtual de obras e edificações. Ela oferece uma imersão profunda sobre cada aspecto de um projeto, dos menores aos maiores componentes.

Com o blockchain e o uso dos sensores inteligentes que realizam a leitura do andamento da obra, é possível obter dados exatos de cada parte de uma obra.

Dessa forma, há uma integração fiel entre a obra física e seu modelo digital. O que possibilita aos stakeholders acompanhar a evolução da obra de modo assertivo, medindo a produtividade em cada etapa.

O blockchain aplicado à Construção e aos processos de Engenharia só tem a beneficiar o segmento. Transparência, rastreabilidade, confiança de todas as partes e acompanhamento em tempo real fazem parte de uma realidade promissora para quem trabalha com construção.

E se você quer conhecer uma ferramenta brasileira que fornece soluções de gestão de Engenharia e Construção com tecnologia blockchain, conheça o Colaborativo. A ferramenta de colaboração, no conceito de software como serviço (SAS), para gestão de processos que é pioneira no uso desta tecnologia.

Quer falar com um de nossos especialistas? Programar una reunión.

E para mais artigos como esse, continue acompanhando nosso blog!

Deja una respuesta

Su dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *